Jornalismo ganha espaço em enredos de videogames

A primeira vez que vi a possibilidade de gerenciar uma de equipe de repórteres, paparazzis e free lancers ávidos em cobrir matérias sensacionalistas, consegui em poucas horas construir um império jornalístico que não poupava a utilização de recursos especiais, digamos, métodos como sabotagem, chantagem, suborno e espionagem para obter bastante lucro e conquistar cada vez mais prêmios. Assim era a vida em Tabloid Tyccon (2005), jogo eletrônico politicamente incorreto, mas que apresentava, pela primeira vez, a rotina de uma redação. O ponto-chave do jogo era a possibilidade de criar histórias optando pelos elementos que poderiam disparar as vendas de exemplares do jornal.

Assista ao vídeo de Tabloid Tycoon e entenda a mecânica

Apesar de muitos jogos de aventura (adventure) apresentarem enigmas que estimulem no jogador o processo de investigação, a maioria dos personagens criados segue em torno do detetive, enquanto nos jogos sandbox, em que o jogador explora livremente o universo espacial, os protagonistas incorporam heróis rodeados de mistérios e traumas. Em Mass Effect 3 (2011), a repórter Emily Wong investiga corrupções no planeta Cidadel e interroga o jogador. Dependendo das suas escolhas, a conversa entre os dois personagens vai determinar o rumo da história, que pode acabar de forma amistosa ou em luta. Outro momento singular de um jornalista em Mass Effect 3 é quando o personagem aceita que a repórter Diana Allers se una à tripulação para enviar notícias do front. O jogo então demonstra como a comunicação é poderosa em grandes conflitos políticos.

Assim é a série chamada Global Conflicts,que coloca o jogador no papel de um correspondente internacional que investiga, em campo, as guerras civis. Apesar de apresentar um bom gráfico 3D, o gênero conhecido como jogos sérios segue mais para o viés educativo, focando em conteúdo, do que para um jogo mercadológico. Através da interação com personagens não jogáveis, o jornalista tem contato com o povo, localiza fontes seguras, viaja por lugares violentos, faz registros de imagens, monta a sua versão sobre aquele combate e envia para a redação do jornal. O primeiro lançamento da série abordou o conflito entre Israel e Palestina, em Global Conflicts: Palestine  (2007). O esquema do tráfico de drogas na América Latina foi abordado em Global Conflicts: Latin American (2008). Atualmente, o caso das crianças-soldados de Uganda, a exploração infantil em Bangladesh, a investigação de um atentado a uma escola no Afeganistão e o assassinato de um político em plena eleição na Guatemala, são alguns dos conflitos que podem ser melhor apurados nesta série.

Em Beyond Good & Evil (2003), a protagonista Jade é uma jornalista que, para desvendar o sumiço dos habitantes de seu planeta Hyllis, inicia uma investigação no governo ditatorial implantado recentemente, em nome da segurança, pelo grupo militar Alpha Section que, por sua vez, sofre ameaças do grupo terrorista IRIS Network. Para encontrar a verdade e estabelecer a paz, Jade não conta apenas com o arsenal bélico e os golpes de artes marciais, mas também com a sua poderosa máquina fotográfica, que contribui tanto para as pesquisas científicas quanto para retratar imagens da guerra.